Pular para o conteúdo

Por Samuel da Rosa 
Acadêmico de Jornalismo 

A pandemia do Novo Coronavírus apanhou o setor do turismo nacional de surpresa e fez com que o volume de viagens caísse em relação a anos anteriores. Avaliando a situação, a Apatur, Associação Pampa Gaúcho de Turismo e os acadêmicos do curso de Jornalismo do Centro Universitário da Região da Campanha, sediado em Bagé, elaboraram uma série de reportagens que destacam locais situados em municípios vizinhos, localizados no Pampa Gaúcho.

A ideia é mostrar o turismo regional de curta distância como opção às viagens para centros turísticos mais distantes e que podem oferecer passeios mais seguros e mais baratos. As cidades escolhidas foram: Bagé, Caçapava do Sul e Lavras do Sul, e nessa reportagem indicaremos dois pontos turísticos belíssimos, e que o visitante irá se encantar pela beleza natural e pela história desses locais.

Com mais de 200 anos de fundação, Bagé reúne belezas arquitetônicas em sua área urbana com grande perímetro tombado por institutos de patrimônio histórico. Mas, além da história, possui belezas naturais à disposição dos visitantes, como é o caso da localidade conhecida como “ Rincão do Inferno”. Localizado a 89km de Bagé, esse patrimônio natural é formado por montanhas rochosas de formação exótica e com muita história. Para ter acesso ao local  é preciso chegar na casa dos proprietários . Os visitantes podem estar acompanhados de um guia turístico particular. O rincão do inferno serviu de reduto para escravos fugitivos das fazendas da região, assim o Rincão passou a fazer parte do Quilombo das Palmas. O espaço permite acampar, fazer churrascos em família e desfrutar da beleza da natureza. Os proprietários cobram R$ 20 para desfrutar o dia ali. É importante observar os protocolos de convivência permitidos pelo distanciamento social imposto pela pandemia do Covid-19.

Outro local de muita história em Bagé é o Centro Histórico Vila de Santa Thereza. A poucos quilômetros do centro da cidade, o lugar é aberto ao público todos os dias. Ali desenvolveu-se pela liderança do Visconde de Ribeiro Magalhães um dos primeiros processos industriais do estado, em 1897. O empreendimento reuniu aproximadamente 840 trabalhadores na charqueada e nas fábricas, possuindo até uma usina para energia própria com acesso à luz antes mesmo do centro da cidade. É um dos pontos de passeio preferidos pelos bageenses para registro de fotos na charmosa capela centenária ou no teatro moderno. O local conta com recepção e estrutura informativa. O horário de funcionamento é de terça a domingo das 14h até as 18h, exigindo-se o uso de máscaras de proteção e álcool em gel para entrar nos prédios.

TOME CUIDADO NA VIAGEM 

Faça uma viagem segura com a sua família, pesquise antes de viajar qual a bandeira vigente para a região de destino e fique esperto aos protocolos de saúde exigidos na cidade escolhida para fazer turismo. Viaje com segurança, cuide de você e de sua família.

Segundo o Facebook do site Bagé 24 Horas, com adaptações, um meteoro explodiu na região de Bagé (Fronteira com o Uruguay) na madrugada de hoje (23/11). A explosão registrou, segundo o que é considerado elevado pela ciência, uma magnitude de -7. Ao entrar na atmosfera, o bólido (denominação dada ao meteoro quando se explode) tinha, provavelmente, menos de um metro de diâmetro.

O fenômeno foi detectado inclusive em cidades distantes a Bagé, como em Taquara, no Vale do Paranhana (Metade Norte do Rio Grande do Sul), como mostra o vídeo abaixo.

Na tarde deste sábado (21/11), no Estádio Pedra Moura, em Bagé, ocorreu goleada histórica do G.E. Bagé por 13 a 0 sobre a equipe do Riopardense. O jogo foi válido pela terceira rodada da Copa Ibsen Pinheiro.

Os gols foram marcados por Zulu (3), Wallan (2), Luiz Eduardo (2) Samuel (2), Andrei (1), Vini (1), Bruno Vidal (1) e Vandinho (1).

Esta é a maior goleada da história do clube, que completou 100 anos em 2020.

Foto: Divulgação / Página do Grêmio Esportivo Bagé no Facebook