Lenda da Noiva da Estrada

Apaixonada por Carolino Anhanha, capataz de estância e ginete, a moça rica já havia também o enfeitiçado que certa vez, na cidade, quando a avistou, com o seu laço a prendeu na armada, como forma de demonstrar o seu sentimento por ela. Passado certo tempo soube-se que a moça, antes do seu casamento, forçada por seu pai, havia bebido veneno por não recusar a união. Segundo a lenda, ao passar pelo Passo do Lagoão (estrada Lavras/São Gabriel), nas noites de lua cheia, surgia uma moça de vestido branco para assustar a quem passasse por ali. Certa vez, Carolino havia bebido de foma excessiva e, de passagem pelo local, seu cavalo se assustou com um vulto que veio da sombra das árvores; meio tonto, Carolino caiu e ficou desacordado; no corpo caído, um carro passou acidentalmente. Esta é uma história muito corrente nos galpões de estâncias. Muitos acendem velas e deixam garrafas de bebida, para fins de homenagem. Ainda, segundo a lenda, dizem que todo amor contrariado vira assombração

Lavras do Sul/RS, Brasil